segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

(Des) Encontro

Ela entra no coletivo, senta em um assento qualquer. Sente-se observada por um rapaz que está próximo a ela. Estão separados apenas por um lugar vazio. O olhar insistente a incomoda. Os óculos escuros dão mais liberdade na averiguação de seu observador. Ele continua a contemplá-la ininterruptamente, como que hipnotizado. Ela olha em sua direção. Constrangido, baixa os olhos e cora. Com um sorriso no rosto, ela volta a olhar para frente. Homens tímidos são um charme, pensa.
Novamente ela sente aquele olhar quente sobre si. Tira os óculos escuros e começa a limpar as lentes na barra da saia. Ele acompanha seus movimentos. Olha-o com um semi-sorriso no rosto e esbarra em olhos tão verdes que todo o resto pareceu se tingir de preto e branco. Ele sorri de volta. Agora é ela quem baixa os olhos.
Durante um tempo que ela jamais poderia precisar, mas que parecera uma eternidade, eles não se olharam mais.
Ela só voltou a mergulhar nos olhos dele quando ouviu um "com licença" e respondeu com um triste "pois não"... O olhar dele disse tantas coisas ao mesmo tempo que ela não conseguiu ler nenhuma delas. Apenas o viu descer, ficar parado na calçada olhando-a e acenando com a mão, num adeus que ela só pôde retribuir, com pesar.
Penalizou-se pela falta de iniciativa, por não ter feito nada e odiou-o pelas mesmas razões.
No minuto seguinte pensou que essa fosse talvez a melhor maneira de algo acontecer: sem chance de decepções, uma boa lembrança, uma página a ser escrita. O semi-sorriso voltou ao seu rosto e ela seguiu viagem.


*******************

Recebi da fofa da Gabriele Fidalgo, do Strawberry Fields, o selo "Blog Cabeça". Obrigada, Gabi, mesmo. É sempre uma honra ser premiada por alguém que escreve como ela escreve. Tento dar o selo para quem não o tem ainda, então os meus indicados ao selo são:

A Mila, do Caixa de Sapato;
A Lucia, do Cena 7;
A B., do Devaneios & Loucuras;
O Sollers, do Do Amor, Laico Impropério;
O F.S. Júnior, do Gamella; e
O Edu, do Sanctuarium.

Sei que muitos não curtem esses selos, mas nesse caso é só ignorá-lo. :P
Para quem o quiser, ei-lo.

19 comentários:

Edu Guimarães disse...

Esses encontros que os caminhos do dia-a-dia propiciam são muito interessantes. Esses flertes são como pedaços de esperança que encontramos por aí.

**

Sobre a indicação, fico lisonjeado, principalmente vindo de você, e nem sei se estou no nível para recebê-lo, rs, mas agradeço!

Um BeiJô!

Pushoverboy disse...

Hum... já vivi algo bem parecido!! Na hora agente fica com raiva mas depois fica só a lembrança boa...

F. S. Júnior disse...

brigadão Jô... é sempre bom estes presentes... beijos

Morganna disse...

ah, meu deus, que lindo.
nem me fale em ônibus, nem despedidas, nem não-despedidas, vontades, lembranças.
deixa eu sorrir que é melhor assim. né? :~

Morganna disse...

a presença do sentido nas coisas. as coisas puxando outras coisas estão me perseguindo essa semana.


*e vai assim, cheio de coisas. que é tão cheio de sentidos.
(aii, dá um abraço?)

Lucia disse...

Aiaiaiai Jô, vou ficar é muito mal acostumada desse jeito!!
Adorei!

Hoje é dia de visitas, daqui a pouco venho pra ler os posts com calma e fazer outro 'daqueeeles' comentários!

Só diz uma coisa: peguei uns pedaços de conversa sua e da Morg... de onde você é mesmo?? Tem parentes em Fortaleza?

Beijo grande e até breve!

Lucia disse...

E olha, é só falar na moça que ela aparece!

Só porque chegou de viagem, vai passar oito horas direto na internet agora...! Ô vício hein Morg!! =))

Mais beijos pras duas!

Rose disse...

Minha primeira visita aqui e gostei muito do que encontrei. Textos, fotos...tudo muito interessante! Voltarei mais vezes.
belos dias pra vc ;)

Edgar Sollers disse...

Cara Jô, obrigado pelo selo, estou ficando mal acostumado.

E sobre encontros e desencontros. Em alguns casos acho que é melhor deixar para a imaginação, mas, se não tentarmos... como iremos saber?

Gabriele Fidalgo disse...

Todo mundo passa por uma situação assim, ao menos uma vez na vida não é? Já aconteceu comigo mais ou menos assim, no ônibus.
Eu sempre penso que nada é por acaso, e que até esses 'desencontros' podem nos dizer algo.


Jô, você é que é uma fofa!!

Super Beijos.

Juliana Caribé disse...

E não é que algumas coisas que acontecem casualmente, se se aprofundassem perderiam a cor?
Era melhor para ela lembrar-se dos olhos dele ao olhar o mar...

Luca disse...

Isso me fez lembrar uma propaganda (não me pergunte qual, pq eu sou péssima para essas coisas), em que o casal se conheceu no busão, após a iniciativa do rapaz falar c a moça.

Beijoooo

Lucia disse...

"Hello stranger"...!!!

Ah, os (des)encontros da vida...

Muito poéticas essas páginas por serem escritas, essas lembranças do que poderia ter sido e não foi.

Mas sabe que prefiro o risco? Prefiro a cena da Natalie Portman sendo atropelada e acordando nos braços de Jude Law e dizendo "Olá estranho!", e correr o risco de ver tudo acabar e terminar o filme andando sozinha pelas ruas.

A poesia é linda. Mas a vida é tão mais apaixonante...

E sabe que eu estou escrevendo isso tudo mas que já passei por uma situação muito parecida?? Pois é, a cena final foi eu de pé, dentro do ônibus cheio, olhando o moço dos olhos claros que me olhava de volta na calçada... Nunca mais nos encontramos.

E quem é perfeito?! Quem é que é capaz de fazer tudo aquilo que diz?, me diz!

Ah, os (des)encontros...

. . .

Mas é verdade, o blogspot nunca cortou nossos comentários, e isso é uma das coisas que eu mais gosto nele! Vamos testar os limites dele quando a gente tiver um tempo sobrando! Você tenta digitar "Cem Anos de Solidão" e eu tento "O Senhor dos Anéis", a trilogia completa!!

Vamos à numeração didática!:

1. Ainda não fui à locadora... estou enrolando com isso, mas já disse pra mim mesma que de hoje não passa! Depois te conto se achei o filme ou não!

2. Siim, lembro o nome da Fatou, amiga do Théo, porque lembro de ter achado muito diferente e ter ficado me perguntando se era francês, africano ou o quê! Ótimo livro!

3. Nossas conversas me convenceram a escrever um texto sobre crenças e religiões, que aliás já está tomando forma. Aguarde e discutiremos mais sobre o assunto em breve!

4. Não confundo mais ateus e agnósticos, e se um dia o fizer novamente, pode bater que eu mereço! É que você não foi ainda advertida sobre a "Dori", minha outra personalidade. Sim, aquela mesma de "Procurando Nemo"!

5. Você me disse pra resgatar minha paixão por escrever, e agora (culpa sua! rs) até em inglês ando escrevendo! Vai lá conferir o Cena7 ou passe no myspace:
http://www.myspace.com/maya7lu

6. Vou conferir as obras de Frank Dicksee, mas só por essa que você colocou no seu blog já imagino as outras...!

e 7. Ahhhh me faça parar de colocar exclamações descontroladas em tudo!!!

Beeeijo

Gabriela. disse...

Isto por acaso é um texto-espelho?

FINA FLOR disse...

querida, parabéns pela indicação e e pelas escolhas :o)

e uau, adorei a boca da foto, linda, linda.

beijos e até

MM.

ps: já dizia o poeta que a vida é a arte do encontro embora haja tantos desencontros pela vida :o)

Fê Probst disse...

Esses encontros, destinos, coincidências, são carregados pra sempre.

Parabéns pela indicação do Blog.

Juliana disse...

Bem, fato mais casual, hein? Na maioria das vezes (q não são muitas) eu nem m atrevo a retribuir o olhar...

Continua tudo lindo por aqui

essas cores...adoro!
beijinho

Anônimo disse...

Aquele conto de carnaval do Veríssimo sobre as crianças que se encontram todos os anos em um baile. Quem não lembra, quem não quis ser aquele menino que observava sua paixão ficar mais linda a cada encontro, sem coragem? Quem nunca viveu essas paixões instantâneas?

É a arte dos encontros, embora cheia dos desencontros.

Abraço, autora.

a) leitor.

luizg. disse...

engraçado...

eu tava cozinhando um continho com a mesma temática...

desencontro em ônibus...

não se preocupe que eu vou fazer de qualquer jeito... o calvino já tinha um conto lindo sobre um encontro desse em um trem...'aventura de um viajante' do 'amores possíveis' lindo e imperdível!