quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Abismo



PARTE II

O dia seguinte... o maior inimigo de quem bebeu no anterior para fazer o que não teria coragem se sóbrio. Por que sua memória não fizera a gentileza de apagar o fatídico telefonema da lembrança? Pensou. Acordara com uma dor de cabeça dos infernos e com o ego mais dolorido ainda. Passa o dia atarefada. Dispersa, entretanto. Reflete sobre como agir no próximo telefonema. O telefone toca. Seus olhos se arregalam. Coincidência demais, não é possível. Atende, desdenhosa.

- Luiza, please.
- ...
- Hello?
- Oi, Mauro...
- Ah, é você...
- É, acho que sou.
- E ontem? Era você também?
- Eu fora de mim. Serve?
- Em sua melhor forma então.
- Há controvérsias...
- Não creio. Acordou bem?
- Sim, e tem tempo.
- Esqueci o fuso horário.
- Hum...
- Você quer me dizer alguma coisa que não me disse ontem?
- Se eu não te disse bêbada, não espere que eu diga sóbria.
- Então eu tenho algo pra te dizer.
- Pode falar.
- Eu não sei o que vai acontecer conosco daqui até quando puderes vir ao Brasil, mas quero que saibas que eu estou disposto a te esperar. E se também quiseres, vou fazer isso tão ansiosamente que não fazes idéia.
- Mas, Mauro...
- Eu lembro bem do teu cheiro quando saías do banho, dos teus cabelos molhados encharcando o meu travesseiro. Do cuidado em enrolar bem a toalha, quando o que eu mais queria era que ela caísse. Éramos tão novos... mas não somos mais, Luiza. Já conhecemos o sexo e as delícias que ele traz consigo. Não aguentaria mais dez anos sem te ter nua nos meus braços.
- ...
- Não precisa dizer nada. Só pensa no que eu disse e decide se aceitas a proposta.


Ela ficou com o telefone na mão, olhando detidamente pela janela. A neve caía lá fora.
Luiza acendeu a lareira e sentou no chão. Nada era capaz de tirá-la do transe em que havia entrado desde que ouviu a ligação sendo interrompida do outro lado.

13 comentários:

F. S. Júnior disse...

dez anos é muito tempo para um amor esperar.

Luca disse...

Corajoso ele, receiosa ela. O amor pode ser mais forte que os anos, pode ser mais forte que a ausência. Mas isso o amor onírico, porque o amor real só fica na ilusão de um dia, se der, se puder, ser realizado. Enquanto isso, as vidas vão sendo vividas, repensadas e os objetivos de outrora gastos e, na leva, se esvai o amor.

(espero um dia chegar a dizer que sei o quê quero em Letras.)

Beijoooooooooo

Morganna disse...

gostei. e gostei da janela e da neve. *.*

e heeeeeeeey! Qué isso, não me deixou mal. Eu adorei o texto!
acho que exagerei. *___*
ahuahuahaahuahua
Beeeeeeeeeijo! :*

Edu Guimarães disse...

Realmente, 10 anos é muito tempo, muito. Mas se depois disso a presença dele causou essa confusão, é pq algo ainda queima dentro dela.

Mas essas pessoas que preferem a certeza ao risco geralmente deixam passar oportunidades. Deve ter algo a ver com o nome dela...

Lucia disse...

Salut, mon ange!

Ando precisando beber como a Luiza.....!

Gente coisa é outra fina? E de onde veio essa?!! Hahaha
Sabe que foi a primeira vez que escrevi em inglês? Embora tenha mania de soltar umas frases em inglês de vez em quando, mas filha de professora de inglês está perdoada nesses casos, não?!!
É que fiquei empolgada com o que li da Sylvia Plath, e tenho um amigo americano que vive me perguntando o que é que eu ando escrevendo, diz que já tentou até jogar meus textos no tradutor, mas não teve muito sucesso... daí resolvi tentar traduzir algumas coisas _ embora me sinta, como disse a ele, um peixe tentando nadar fora d'água...

Nooossa Jô, Pará é muito longe, sô! (Não, não tive intenção de rimar!) Sou de Minas sim, Ipatinga, 3 horas de distância de Belo Horizonte. Precisamos marcar de nos encontrar, dia desses, em algum ponto entre o Pará, o Ceará e Minas Gerais, você, eu e Morganna!

E tinha esquecido essa outra cena de Closer, que é ótima!! Ainda bem que você me lembrou, me fez dar boas risadas!

E ahhhh, alguma coisa me dizia que aquele texto era um fragmento real...! E está vendo só como sou uma boa amiga? Assumi a responsabilidade pelo livro de 1202 páginas _ e agora, vendo ele ali na estante, já começo a querer trocar pelo 'Pequeno Príncipe' de Exupéry...! Mas, admita, a idéia foi boa, nada melhor pra testar os limites da caixa de comentários do blogger!

E olha só, NÃO encontrei o filme... =( Vou tentar outras locadoras, inclusive a videoteca clandestina da faculdade _ e as bancas de dvds piratas _, e se nada der certo vou tentar baixar na net _ porque, preciso dizer ainda que sou hiper curiosa...?!
Diz uma coisa: o filme é inglês? Não tem nada além de 'Vênus' no título? Quem é o diretor, quem são os atores...? (Tu tá perdida comigo agora!)

Não percebeu minhas exclamações descontroladas...? É que eu acho que tenho mania de colocar exclamações em excesso nos meus comentários, mas se você ainda não percebeu, então ainda não deve ser hora de procurar ajuda psicológica ou grupos de apoio anônimos...!

Bisous!

Juliana Caribé disse...

Tão bonito e delicado...
(Não sei se eu ando muito sensível, mas qualquer coisa ultimamente me faz chorar... Que estou dizendo? Seu texto não é, nunca, qualquer coisa.)
Amor é tão complicado, né? 10 anos... esperando pelos braços do outro...
Eu esperaria 20.

Camilinha disse...

... mais do que bonito, é intenso. gostoso de ler. dá um arrepiozinho na espinha...

beijos daqui...

Pushoverboy disse...

Eita... gostei do texto. Dez anos não é nada... ja pensei bastante e pra mim o amor não acaba. Ele está sempre ali, quando pensamos nas pessoas que amamos em alguma época e não temos mais contato com elas, sentimos saudades, e saudade é sempre por algo bom. O que acaba é o momento o amor fica. As vezes podemos reviver os momentos... não importa quanto tempo ele tenha ido embora.
Bjos moça ;)

Gabriela. disse...

Eu só espero que ela tenha acreditado nele.

Bárbara (B.) disse...

Daria uma bela história de amor... aliás, vai dar, né? Preciso ler coisas boas e inspiradoras. :)

Beijo, Jô.

E, ah, obrigada pelo prêmio. Ainda preciso indicar. Aliás, preciso pôr em dia muita coisa lá naquele blog.

Bárbara (B.) disse...

Ps: Gostaste mesmo do novo layout? Está melhor que o antigo? Enjoei daquele outro, precisava de mais identidade naquele blog. Sabe como é... :P

Lucia disse...

Adorei a letra da música, vou ver se consigo baixar! Bem que eu precisava cantar todo esse jazz e clarear também meu amor... claro, bebendo como a Luiza!!!

Hahaha, sua carrasca! Não vou traduzir tudo também (dá um trabalhão do c...!), mas de vez em quando vou deixar por lá alguma coisa do que eu escrevo pros amigos internacionais, porque sou "gente coisa", sabe? Sou "outra fina"!! rs

E, verdade, você não foi muito justa comigo escolhendo o "ponto de encontro"... Se bem que sou louca pra conhecer Fortaleza e a bendita base da FAB de que falo há anos _ adoro aviões! Quem sabe a gente combina lá mesmo!

Roger Michell... ok, vou lembrar do nome e voltar a procurar o bendito 'Vênus'! Essa semana dediquei meu provisório ócio à leitura e aos filmes: foram 'Sylvia', 'Amarelo Manga' e agora 'Pergunte ao Pó'. Esse último é baseado num livro que já li e amei!, que é o 'Sonhos de Bunker Hill', do John Fante. Procure depois pra ler, e o filme pra ver, valem a pena!

Beijo beijo beijo

disse...

Camilinha, tentei te deixar um comentário lá no teu blog, mas não consigo, não sei se é pra ser assim mesmo. De qualquer forma te respondo por aqui... obrigada pela visita gentil e eu adorei os tapetes contadores de histórias. Lindo demais. :) Eu queria estar em Brasília pra ir vê-los. Bjs pra ti.