domingo, 6 de janeiro de 2008

Abismo



PARTE I

Um oceano de dúvidas a separava de si mesma e da possibilidade de se entregar sem tempo para refletir. Um país lindo e repleto de novidades estava ali, estandartizado à sua frente, mas tudo parecia cinza e sem sabor. As cores do outono, tão ton sur ton, eram sempre mais atraentes que as cores da primavera. Era como ela se sentia. Monocromática, variando, quando muito, em tons mais claros ou mais escuros. Normalmente os mais escuros com maior freqüência.
Está dividida entre a calmaria e a inconstância. Suas certezas se dissiparam no momento em que ele reapareceu em sua vida. Ela tentava se convencer a todo instante que o que acontecera entre eles havia sido coisa de criança, brincadeira, namorico de infância. Essa era a versão que ela contava a si mesma. Uma década, entretanto, não fora suficiente para apagar as lembranças, ainda cheias de detalhes. Isso havia de significar algo.
Os telefonemas e trocas de correspondências só a confundiam mais. Sabia que precisava tomar uma decisão, mas não conseguia pensar em nada que não doesse e isso tirava seu sono, sua paz...
Procurou uma boate, aquele lugar de pessoas tristes e solitárias, bebeu muito e oscilou entre a vontade de ligar para ele para não dizer nada e o resto de razão que o álcool ainda lhe deixara por piedade. Ligou.
- Oi...
- Oi, você estava dormindo?
- É um bom motivo pra ser acordado.
- Na verdade eu nem sei pra quê te liguei.
- Então eu posso te dizer?
- Se você souber...
- Porque você não consegue lidar com a confusão que eu estou gerando na tua cabeça, ficas entre o seguro, que é o teu namorado, e eu, o inconstante, o incerto. E o teu estado etílico te deu um empurrãozinho pra que tu me demonstrasses isso, já que lutas tanto contra quando estás sóbria.
- Quanta sutileza...
- Aposto que estás corada agora.
- ...
- Ficas tão charmosa quando coras...
- Acho que meu pileque passou... preciso desligar.
- Espera!
- Adeus.


****************************************

A Lúcia, do Cena 7, muito gentilmente me presenteou com o selo "Uma Mulher que Faz Pensar", que eu não conhecia, achei de muito bom gosto e fiquei feliz de receber. Obrigada, moça. Agora eu vou fazer minha lista de indicadas (meninos, perdoem-me, mas o selo não pode ser dado a vocês) e vou seguir a dica da Lúcia, que disse para escolher um número entre 1 e 11 que achemos que nos dá sorte. Então fico com o número 7. Vamos a elas:

Mila, do Caixa de Sapato; Laís Mouriê, do Lá no mundo de Lá; as meninas do Mulheres que Não Sabem Provocar; Samantha Abreu, do Mulheres Sob Descontrole; Lari Nakao e Jô Beckman, do Sim, Senhora!; Gabriele Fidalgo, do Strawberry Fields; e as meninas do Versos de Falópio, que têm algumas indicadas também por seus blogs pessoais.

Eis o selo, peguem-no. ;)

11 comentários:

Mila disse...

Jô!
Que prêmio lindo!
Amei, amei, amei!
Vou preparar minha lista e postar mais tarde.

Obrigada!
=)

Bjs

Nil Brito disse...

Jô,
Você faz bem em proteger seus textos com a Lei dos Direitos Autorais. Que coisa fina! Profissional. Vc faz o quê? É escritora?

E são apenas "fragmentos", hein?
Fico imaginando o todo dessa produção literária.

abs admirados do nil

Gabriele Fidalgo disse...

Oii Jô. =]

Eba Eba!!
Adorei ter me indicado.
Vou colocar o selo com todo o carinho lá no meu blog. E amanhã posto as minhas indicadas!!


Sper beijos, querida.

Luca disse...

Eu acho, sinceramente, que vou tomar um pilequinho.

Vinícius disse...

.

se eu bebesse, acho que meus pileques resultariam em atitutes assim nesse momento auhahhua.

abração

.

Lucia disse...

Olha! Adorei o vermelho sobre o negro! Elegantérrimo, como o blog todo!

E que bom que gostou do presente! Vou passar depois pra conferir suas indicadas _ e aí também reside muito da graça destas indicações: a gente passa a conhecer outras páginas e pessoas interessantes!

Quanto à sua "aversão à igreja católica", também desconfiava, mas não tinha 'aquela' certeza! Nasci católica, passei por uma fase de muita rejeição ao catolicismo, passei a estudar outras religiões, principalmente as orientais e a doutrina espírita de Allan Kardec, por influência de minha mãe. Continuo estudando e questionando religiões, e respeito todas (ou quase todas) elas no sentido de que somos todos diferentes e acredito que cada um tem o direito a escolher seu caminho e suas crenças. Mas quanta estupidez e quanta merda é feita em nome de algumas destas mesmas religiões... quanta falta de bom senso e de escrúpulos. Enfim... (suspiro)

Seu texto (muito bom como sempre!), me lembrou de uma história que eu mesma vivi, e estive a três segundos de dar aquele passo à frente _ mas faltou a bebida!!

Será que somos mais sábios quando em "estado etílico"? Haha!

Beijos!

Lucia disse...

Eita moça indecisa! Esse ficou bonito também! Tenta jogar com links brancos pra ver no que dá! Adoro essa mistura de branco, vermelho, preto e cinza!

Mais beijo!

Lucia disse...

Nossa, agora até perdi o fôlego com aquele seu comentário! =)
Mas ficou bom também, tanto o fundo cinza escuro quanto o fundo preto. O segredo é deixar o texto e os links bem legíveis, numa cor que não confunda muito com o fundo.
Minha página também eu mudo de vez em quando, e ainda não consegui me acostumar àqueles links que ficam cinza quando a gente passa o cursor... queria uma cor mais forte, mas que ao mesmo tempo contrastasse com a cor do link mesmo... aquilo é quase um jogo de estratégia, se bobear trabalha a mesma área do cérebro usada na matemática...!! Mas é por aí mesmo! Você pode também tentar deixar o fundo preto (ou você quer o blog mais claro?) e colocar o texto normal vermelho, os links naquele tom rosado, e branquinhos quando passar o cursor. Depende de como você quer deixar a página: mais clara, mais escura, mais séria, mais leve... e se eu me estender mais aqui vou querer começar a mudar o meu layout também!!! Deixa então eu fazer um lanche, depois volto pra discutir mais sobre religião!

(Tu estudou em colégio de freiras a vida toda é?? Tá explicada essa sua aversão...!!)

Beeijo

Luca disse...

Eu faço Letras sim, Jô. Mas faço comunicação tb. E vou ser sincera contigo: acho que não termino o curso de Letras, não, porque vou tentar mestrado para educomunicação.

Então, a sua constatação é verdadeira!

Mila disse...

Jô e sua longa busca pelo layout perfeito! rs
Gostei desse, mas eu achava o outro mais bonito.
(eu e meus palpites... rs)
***
Tava "xeretando" os comentários aqui de cima e, pelo que entendi, você é mais uma das que rejeita a igreja católica. Junte-se a mim! rsrs
***
Sobre esse texto, agora que fui ler inteiro. Adorei!
Há quem condene, mas sob efeito de álcool certas decisões são bem mais fáceis de serem tomadas.

F. S. Júnior disse...

o prêmio é mais do que merecido... afinal o Fragmentos é um dos poucos redutos onde só se encontra literatura da melhor qualidade... qto ao alcool,bem pode ser bem perigoso...rs beijão e parabéns.