sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Dos Diálogos Memoráveis V*



Sexta-feira à noite, sem grandes e boas propostas de diversão, ela resolve fazer o programa dos solitários: pega duas garrafas de prosecco que ganhara de presente de uma amiga no aniversário, uma taça e liga o computador. Começa a beber, ler algumas coisas, rir mais descontroladamente de outras, responder emails com mais desinibição que o normal, com um humor mais ácido do que quando está sóbria (não que ele já não o seja). Quando ela está abrindo a segunda garrafa, eis que surge uma janelinha com aquele aviso: ELE entrou.
Com um sorriso no canto dos lábios, ela o cumprimenta, falam de amenidades a princípio. Mas ele estranha:
- Você está bem?
- Estou. Por quê? Não pareço bem?
- Não sei... me parece meio diferente hoje.
- Diferente pra melhor ou pra pior?
- Ah, diferente.
- Defina diferente.
- Mais soltinha, acho.
- Hum... é que eu já estou na segunda garrafa de prosecco.
- Estás bebendo com quem?
- Sozinha.
- Sozinha? Interessante...
- É?
- É, é sim... já estás com ar de bêbada.
- E estou.
- Humm... se eu estivesse aí perto pra me aproveitar dessa sua embriaguez...
- Mon cher, você não precisa disso não...
- Não?
- Não, claro que não... pra você eu daria sóbria, não precisarias me embebedar.
- Nossa... essa vai entrar pro hall das frases memoráveis que já ouvi de uma mulher.
- Guarde essa. Porque pra dar pra você eu não preciso estar embriagada, mas pra dizer isso, assim, a seco sim... Não falemos sobre isso amanhã.

* Baseado num diálogo virtual, desta vez.

17 comentários:

Lais Mouriê disse...

Adoro diálogos, virtual ou não, este ficou perfeito!

Bjos, querida JÔ!!!!

Anônimo disse...

A Internet e as boas surpresas! Fico feliz por teres desenvolvido essa verve nos últimos anos. Faz tanto tempo. Faz muito tempo, aliás, sem notícias do 1330 do Chaco (Era esse número?). Bom saber que correste por estes caminhos pantanosos, intrincados, da escrita. E, principalmente, por ter perdido o medo tolo de expor as entranhas.

Depois de infinitos clareias, ais, ós, uis e luz dos olhos teus pra ti, me secaram as palavras da boa lavra, não sobrando quase nada pra quem chegou depois. Acabei no Jornalismo, bem mais seco, irritadiço e corrido, mas também com possibilidades interessantes.

Gostei do que li no blog. Da honestidade, da boa tristeza de ser só, da teimosia em certos temas, da delicadeza e da crueza com os homens que só algumas moças alcançam.

Parabéns.

Anderson.

Eduardo Trindade disse...

Teu blog é ótimo, criativo e bem escrito! Queria que fosse um livro para eu poder lê-lo na cama, levando a imaginação a viajar nas tuas palavras...
Parabéns e abraços!

SAMANTHA ABREU disse...

mais um... muito bom, hein!

adorei!

Anônimo disse...

Maninha, estou cada vez mais encantada com seus diálogos... Nem sempre deixo recado, mas sempre confiro seus fragmentos... beijo da Lo...

Zaira Brilhante disse...

Fala Jo!!! =) Eu sei que a Mila ja te deu o Escritores da Liberdade, hehehe mas vc tb ta na minha listinha la do Fine!!! Entre os blogs que eu conheci ultimamente eh o mais legal!!! Escritora de mao cheia... bjssssss
***

Lari Nakao disse...

Primeiro, obrigada pela indicação no post abaixo!
Segundo, mas que diálogo mais verdadeiro, tão descrito, tão real. Sensibilidade demais nele!

Mila disse...

Amei esse diálogo!
Normalmente, minhas conversas no MSN são mais desinibidas do que as que eu tenho ao vivo. Isso porque eu ainda (AINDA) não tentei conversar sob efeito de álcool.
O "já estás com ar de bêbada." foi o máximo. rs
***
Aquela historinha é mais um caso de "boas coisas perdidas na rede".

Beijos

Edgar Sollers disse...

Cara Jô, uma série bem interessante esses seus diálogos.

beijos

Juliana disse...

é,
eu já estive no msn meio embriagada.
mas quem eu queria dizer isso não entrou.

nem bêbada eu tenho sorte,
hunf!

rs

beijos

F. S. Júnior disse...

eita! rsrs

http://imcompreendida.zip.net disse...

Olá,

adorei seu blog... vc escreve muito bem... Parabens!!!

SAMANTHA ABREU disse...

querida!
olha...
tem novidade hoje, no FALÓPIO...
http://versosdefalopio.blogspot.com/
apareça!
Um beijO!

Fê Probst disse...

Dizem que palavra de bêbado não tem valor. Eu discordo.
Quando bebemos, criamos coragem para dizer aquilo que, sóbrios, jamais falaríamos.

Camila Micheletti disse...

bom, muito bom! sou fã já, viu!?

beijos

Lucia disse...

Ah, essas distâncias tão inconvenientes nas horas mais inoportunas...!

Gabriele Fidalgo disse...

Jô, juro pra você que gargalhei aqui na metade do texto!
Que diálogo mais interessante! [ok, já vi acontecer algo do tipo... rs]

Adoro seus textos, poemas, diálogos e o que quer que seja.

Beijos.