sexta-feira, 7 de março de 2008

Semana da Mulher


Tela: Nude. Pierre-Auguste Renoir. 1876.

"O que é ser mulher? Às vezes me perguntam isso em entrevistas e fico inclinada a responder que é nascer com cromossomos XX, mas não é esta a resposta que o entrevistador espera, é preciso entrar no espírito do debate, e responder que ser mulher é... ah, não consigo.

Bem que tento entrar no clima do Dia Internacional da Mulher, mas esta data me emociona tanto quanto o Dia da Árvore. Um dia especial para refletir sobre nossa condição? Ora, não faço outra coisa o ano inteiro!

Gosto muito de ser mulher mas não acho que sejamos mais especiais do que os homens. Ou mais maltratadas do que eles. Há gente feliz e infeliz dos dois lados do ringue. E se temos que lutar por melhores salários, mais segurança, uma vida mais digna, isso tem que valer para todos – que seja o dia internacional do ser humano, e não o dia internacional da choradeira.

É claro que ainda há discriminação. Foram séculos de hegemonia masculina e isso não se muda do dia pra noite – e olha que em 50 anos mudou coisa demais. Voto, pílula, faculdade, independência financeira, liberdade sexual. Há mais ainda para ser conquistado, e será. Mas quem vai ajudar as mulheres são elas próprias, principalmente porque somos mães: mães dos futuros políticos, mães dos futuros genros de nossas filhas, mães dos futuros patrões delas, e mães delas mesmas, as futuras mulheres que queremos ver mais realizadas e respeitadas. A responsabilidade é toda nossa. Se acertamos ou erramos, se ganhamos mais ou ganhamos menos do que os homens, se somos tratadas com carinho ou com violência, tudo é decorrência das nossas escolhas e atitudes – e das nossas omissões.

Num mundo com tamanha desigualdade social, claro que nem todas as mulheres têm esclarecimento e poder para assumir sozinhas seu destino. Então briguemos por elas, como fizemos quando a argeliana Amina foi ameaçada de ser apedrejada por ser mãe solteira. O governo africano recebeu uma avalanche de cartas pedindo sua 'absolvição', e deu certo. Aquilo foi quando? Julho, setembro, novembro? Foi feito o que tinha que ser feito na hora em que se fez necessário. É assim que funciona. Fazemos nossa parte todos os dias de março, abril, agosto, dezembro, atendendo as demandas da vida, como árvores que somos, forças da natureza que não
precisam de uma data única para lembrar aos outros nossa importância."

(Martha Medeiros)

11 comentários:

Johny Farias disse...

O mundo no fundo depende de vocês
e nada pode deter isso.
Eu sou feminista, e me orgulho muito disso.

Eu morro de vontade um dia ter uma filha, adoro esse universo feminino, as deusas, as histórias e tudo. Mas por momentos tenho medo, pois nesse mundo hipócrita,
as barreiras contra ela se levantaram de todos os lados, mas
ela carregará consigo a força do ventre de Vênus, e vencerá como tantas mulheres no passado.

Até os cépticos afirmam que Deus tem um lado feminino, é só ver pela natureza. A mulher é a fertilidade, é a magia.
Nós, não somos nada sem vocês.
Nada. Dedico essa data também as mulheres do Oriente Médio.

Beijo's Jô

J.S. disse...

Todos os dias é para refletirmos sobre nossa condição na sociedade, e não um só dia, agendado!
bjo,linda menina!

Johny Farias disse...

"O Dia Internacional da Mulher foi criado em homenagem a
129 operárias que morreram queimadas numa ação da
polícia para conter uma manifestação numa fábrica de tecidos.
Essas mulheres estavam pedindo a diminuição da jornada de
trabalho de 14 para 10 horas por dia e o direito à licença-maternidade.
Isso aconteceu em 8 de março de 1857, em Nova Iorque, nos Estados Unidos."

Ótimo site Jô, dá uma olhada
vai gostar.
http://www.ibge.gov.br/ibgeteen/datas/mulher/home.html

Ane Talita disse...

Lutemos todos os dias pelas nossas demandas!
;)

beijo, bonita!

SAMANTHA ABREU disse...

ela é fantástica!

Aline disse...

Quando essa mulher fala, homens e mulheres emudecem boquiabertos.

F. S. Júnior disse...

bela reflexão.

Mila disse...

Dias que eu tô pra vir aqui te dizer que ouvi a Ceumar.
Linda a voz dela!
Preciso pegar outras músicas, mas pelo que eu ouvi até agora, já adorei!
Obrigada pela dica, dona Jô!

Beijo

Bárbara Prianti disse...

Olá.
Muito obrigada pela visita em meu blog, seja bem vinda e volte sempre! =]
Fico feliz por ter posto esse texto do dia da mulher aqui em seu blog.
E sei que nosso dia é todo dia, independente de mês e etc.
Como diz o texto "nós fazemos nossa parte todos os dias...”.

Um abraço.

Bárbara Prianti

Lúcia disse...

Muito bom o texto, Jô! Tem certeza de que você não deveria estudar sociologia? =)

Quanta coisa mudou, quanta coisa ainda vai mudar, quanto ainda vamos conquistar e sofrer? Faço-me estas perguntas pensando em termos de sociedade, porque uma coisa não existe sem a outra. E a luta é constante: é dessa oscilação das forças que se faz o equilíbrio...
(nooossa, agora você vai dizer que passei dois meses meditando no Tibet...!)

Beijos e melhoras moça hare hare!

Will disse...

Belo Texto da Martha

Adorei principalmetne pq não tem aquele sentimento ultra-feminista.

Odeio exageros e extremos...

A data é importante pelo acontecimento que representa ela. Respeito é todo dia

PARABÊNS...HJ TBM É DIA DA MULHER

Bjso