quarta-feira, 26 de março de 2008

Espectadora de ilusões

Adorava os momentos de ócio, quando conseguia ficar com os pensamentos totalmente desertos, com o corpo inerte e os ouvidos moucos. Só os olhos não paravam sua atividade. Admirava hipnoticamente detalhes que passavam despercebidos nos momentos de pressa. Tudo parecia dançar coreografadamente. A fumaça dos incensos, a sombra da vela projetada na parede, a cortina... E ela, uma espectadora. Sempre fora um tanto voyeur. Cansara de ir a parques, sentar em um banco à sombra e observar tudo. O olhar de cada casal desgastado que esperava o filho ir correr com o cachorro da família para trocar farpas e olhares reprovadores. As mãos dadas de um casal adolescente que acredita ser aquele o último amor para todo o sempre. As ilusões eram o que ela mais gostava de observar. Uma criança conversando com um gato, por exemplo, a deixava arrepiada. Um casal de namorados escrevendo seu nome numa árvore para a posteridade era uma de suas cenas favoritas. Ilusões. As ilusões são belas. Belas e cruéis.

Já estivera daquele lado. Sabia a verdade: a vida é feita de fases. E uma delas é a da ilusão. Vivia agora a do desencanto. Do ceticismo. Só não sabia o que era mais sofrido: um sofrimento atroz, pago à vista, ou aquele parcelado de forma vitalícia. Chegou à conclusão de que já fora mais feliz e foi escrever seu nome em uma árvore para os casais apaixonados que fossem fazer o mesmo notassem o quanto eram felizes por terem um ao outro.

8 comentários:

Camilinha disse...

A vida é feita de fases ... fato!

Cada fase com seu doce sabor. Amargo, ao leite, crocante... (influenciadíssima pela páscoa)

basta sabermos apreciar todas elas (as fases) e todos eles ( os sabores).

beijos daqui...

Anônimo disse...

ilusões?, quem nunca as teve?,mas vc pode escolher a a fase que lhe condiz com seu estado de espirito.Tudo é uma questão de escolha, e vc pode escolher a melhor que se igualar a textura de sua pele.

Bel Gasparotto disse...

O sofrimento parcelado, com certeza, é o pior. Na minha vida, quando vejo que vem bomba, jogo querosene, pra explodir de uma vez.

Me identifiquei um pouco com esse texto, sou observadora, sou capaz de passar uma tarde toda num parque observando as pessoas, criando suas histórias... e até gosto de um pouco de ilusão.

bj!

Fê Probst disse...

"As ilusões são belas. Belas e cruéis".

Delisulão amorosa, machuca.

SAMANTHA ABREU disse...

ah!
parece pra mim esse texto!!!

me parece nesse texto...
pareço o texto pra mim.


Um beijO!

Lúcia disse...

Lúcia levanta a mão: "outra observadora aqui!"

E que fim de texto mais amargo, Jô... a paixão dos casais de namorados passam, os nomes nas árvores ficam. Da mesma forma, o gosto amargo na nossa boca passa. O coração apertado de repente fica leve... mesmo que a gente nunca se esqueça, mesmo que a gente não consiga perdoar.
Já me angustiei muito com essa propriedade passageira das coisas, da vida. E nunca me angustiei tanto como quando, há três anos e sete meses, minha mãe faleceu. Passei três anos me questionando sobre a validade de tudo, de absolutamente tudo, se tudo no fim acabaria passando mesmo: as coisas boas, as coisas ruins, os inimigos, os amores... Passei uma fase muito, muito amarga e depressiva. Pra conseguir enfim enxergar que, por mais coisas, pessoas e sentimentos que passem pela nossa vida, a gente fica e a gente cresce. A gente continua: inteiro. E maior.

Sim, a gente também passa. Mas então, quando chegar o momento, é outra história. Cada um tem suas crenças. Eu, por exemplo, acredito na propriedade mutável de tudo, e não num fim. Mas como é bom compreender que se é inteiro, pleno apesar de toda a merda por que passamos... Como é bom saber que agora, agora mesmo, temos tudo de que precisamos pra seguir, fazer, conquistar.

Pensa nisso, moça... não é tu que diz que dobra mas não quebra? ;D

Mais beijo!

Edu Guimarães disse...

Perder o dom da ilusão é favorável a que? No fundo, precisamos viver essas pequenas ilusões. O pior é o estágio letárgico entre o prazer da ilusão e da observação.

BeiJô!

Rose disse...

A vida é realmente feita de fases. Se pelo menos pudéssemos aprender a viver BEM cada uma delas, não?
E sem pressa, sem pressa...
boa semana
beijo ;)