segunda-feira, 3 de março de 2008

Não à filantropia


A angústia que a tomava era tão grande que ela pensou que só a euforia fosse capaz de calá-la. Seu estilo sóbrio, entretanto, não combinava com sorrisos bobos e sem razão. Seus sorrisos eram seus tesouros, não os saía distribuindo por filantropia. Achava até que tinha ciúme dos seus dentes, era uma boa explicação para justificar a resistência em mostrá-los. Decidiu ser outra naquele dia. Pôs o vestido com cheiro mais forte de naftalina, aquele que há muito não usava por achar a cor alegre demais. Foi ao lugar mais ensolarado, sem os óculos escuros dessa vez, e soltou a gargalhada mais forte e sonora que conseguiu, fazendo até eco dentro dela.

Voltou para casa cabisbaixa amaldiçoando o vestido, a gargalhada e a naftalina que irritava o seu nariz, vermelho de tanto coçar. Definitivamente não nascera para a alegria, sabia disso. Mas achou que não custava refazer algumas de suas certezas. Foi a um bar e reafirmou outra certeza, vodka era mesmo uma merda.

14 comentários:

Juliana Caribé disse...

Mas não adianta forçar a alegria a acontecer. Ela vem sozinha, nos detalhes. Se não nos nossos próprios sorrisos, nos das crianças. Se não nas cores das nossas roupas, então no arco-íris. Se não na nossa risada forçada sob a luz do sol, no som de um blues tocando ao fundo, enquanto, à frente, nos esperam uma taça de vinho e dois braços abertos.

Beijos.

Luca disse...

Se enfiar num copo de álcool é a maior certeza que ela poderia criar!

Beijoooooooooooooo

SAMANTHA ABREU disse...

vodka é mesmo a merda mais bacana já inventada!
ahahahahahaa
deixa todo mundo lindo, simpático e divertido.
O que doí mesmo é a cabeça, no dia seguinte.

Mas peli riso, vale a pena!

Um beijo, JÔ!

Will disse...

Sensacional.

Vodka realmente é uma merda...rssss

Estou preso a te visitar.

Tomara que seja pena máxima: Prisão perpétua.


Bjos

Ane Talita disse...

Ahh...vodka...faz a vida ficar mais leve, mais bonita...O ruim são as consequências (não somente as físicas) no dia seguinte...

beijo, beijo!

Gabriela. disse...

Muito bom Jô (1.000.000)

Caramba, eu sou essa mulher. E adorei a justificativa do ciúme dos dentes.

Essas boas doses de intolerância sempre me vestem muito bem.

Morganna disse...

uou. perfeito.
comentário atrevido: ela se joga! :D

Johny Farias disse...

A Alegria não é querer, é ter.

Ou você tem naturalmente
ou não tem. No máximo pode ter é
uma "alegria artificial".
Se não esta alegre com si mesma,
mude, busque novas coisas, aquilo
que realmente gostas, ai encontrará a alegria, ou melhor...ela vira até você.

Vodka, uma vez quando ainda era guri me deram vodka com red bul..
não queria parar de correr, meu violão nunca tocou tão alto.
:)

Beijo's Jô

FINA FLOR disse...

kkkkkkkkk, a culpa é sempre da cachaça =]

beijos e boa semana, querida

MM.

Bel Gasparotto disse...

Difícil apenas "querer" ser feliz. Mas se ela tivesse tomado a vocka antes, talvez tivesse conseguido, rsrs

Vodka sempre me deixa muuuuito feliz!

Bj

R Lima disse...

Não adianta esconder-se na solidão dos dias e fugindo da felicidade... um dia, por certo, nos encontraremos.

Bjs,



Texto de hoje: sEm reSerVaS...

Visite e Comente... http://oavessodavida.blogspot.com/

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Fê Probst disse...

Não adianta forçar a ser. É o que se é. Ponto final.

PS: Desculpas pelo sumiço. A vida cansativa recomeçou e eu demorei a me acostumar com ela. Agora que a criatividade está de volta e a inspiração idem, aparecerei mais vezes! Beijos ;*

F. S. Júnior disse...

penso que ninguém nasceu pré-destinado à ser feliz, como também acho que ninguém nasceu pra ser triste a vida inteira...o texto ficou ótimo, gosto da sua concisão... beijos

Juliana disse...

hohohoho

outro dia, me afoguei em dois goles de licor barato.
ou seja, a mesma merda.

ah, e adorei o texto relativo à mulher lá em cima.
;]
beijo