sábado, 12 de abril de 2008

Reflexões de porta de igreja



- Filhos... choradeira... marido reclamando... salário que não paga metade das contas... jornada tripla, quádrupla... pensava a noiva.
- Vamos, minha filha... a marcha nupcial já começou a tocar.
- Não, pai. Explique aos convidados que eu fui pra lua-de-mel. Sempre quis conhecer Budapeste. Ah, e diga ao noivo que eu peguei a passagem dele emprestada, vou levar uma amiga comigo. Eu mando o dinheiro de lá.
- Mas...
Ela já havia entrado num táxi.

18 comentários:

Ni ... disse...

Se pensarmos com a lógica é isso aí mesmo... pra casar temos q enterrar o racional e curtir intesamente o irracional... rsrsr

Saudade de ti Irmã...

Beijooooo

Morganna disse...

pra quê se casar não é mesmo? =D

saudade, moça. :*

Luca disse...

ahahahaha

Q tragédia!!

Ou melhor, que sábia decisão!

Gabriele Fidalgo disse...

Pra que casar, não é mesmo? [2] hahaha

JÔ, vc é fantástica!

e obrigada pelo comentário.

Cabraforte disse...

Jô vo dizer que se fosse eu faria a mesma coisa!!!

e outra egoismo puro é o casamento, vc não poder conhecer intimamente outras pessoas é egoismo!!!


bj

boa viagem e aproveite a liberdade!

Bárbara (B.) disse...

Essa coisa de casamente está muito ultrapassada. O negócio é fugir pra Europa!

Adorei!
Risos.

Juliana Caribé disse...

Filhos... amor incondicional... noites inteiras acesas de prazer... companhia para o cinema, a pipoca, o teatro... salário apertado, mas compartilhado... jornada longa e abraço apertado ao fim do dia... beijos e mais beijos... peito aberto... dormir toda noite agarradinhos... melhor lugar do mundo... lar.
Tudo depende da maneira como se olha.

Beijos.

Camilinha disse...

Botei fé na atitude...

será que o noivo saiu correndo atrás dela? ou ficou parado olhando?

beijos daqui...

Índigo disse...

mas olha só, que esperta...

Camila disse...

Não sei por quê, mas eu tenho vontade de fazer isso no casamento.
Pra quê dizer "sim" diante do altar?
Vou dizer "sim" para filhos, choradeira, marido reclamando, salário que não paga metade das contas...?
Obrigada, mas eu prefiro o "não".

Juliana disse...

Jô, "quando eu crescer quero ser" igual à estas personagens suas!
Juro!haha

beijos

Camila disse...

Pra que casar, não é mesmo? [3]
Haha, adorei. Fez bem, a moça!

nj.marabuto disse...

casamento é um negócio jurídico

dizem por aí que "matrimônio" pode ser bem mais que isso... e sorte de quem sabe a diferença...

ei de descobrir!

Mila disse...

Hahahaha

Adorei o "avise o noivo que peguei a passagem dele emprestada".
Meu sonho é ver uma noiva fugir do altar!
Ei, Jô! Você bem que podia fazer isso, né? Só pra eu poder dizer que já vi a cena. rs

Bel Gasparotto disse...

Tenho medo dessas histórias... às vezes acho que sou capaz de cometer essas maluquices, kkkk

Não sou sempre assim, mas às vezes vou de um extremo ao outro...

Cinema da Vida disse...

Ah, eu já fiz isso!
Vim parar no interior da Bahia. O dolar estava caro na época...rs
Beijo

Camila disse...

hahaha adorei!!!!

o pior é vc ler, gostar e se identificar muito. deu até pra ver a cara passada da minha mãe. rs

beijos, querida

Lúcia disse...

Hahahaha!! Não costumo rir com seus textos reflexivos ou provocadoramente sensuais, nem com os românticos, mas essa coisa de "fui pra lua de mel, avisa ao noivo que fui com uma amiga" ficou ótimo!! Na medida exata pr'uma madrugada de sexta feira! Acho que levanto de bom humor amanhã, uma vez que não tenho casamento pra me pré-ocupar...!