quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Meu querido,

Fiz questão de sair antes dessa carta chegar por um objetivo claro: evitar dramalhões. Você sempre foi dado a uma carga de dramaticidade maior do que eu conseguia suportar. Assim como você nunca suportou a minha praticidade e entendia a minha falta de paciência para romantismos como insensibilidade. Pode ser que seja. Na verdade,deve ser mesmo e que diferença isso faz agora? Mandei essa carta até por um mensageiro. Viu que romântico?!
E tudo isso para dizer que eu te amo. Mas nossos problemas de convivência são maiores que nossos sentimentos.É triste, mas nem toda história de amor termina com sorrisos e mãos dadas num dia ensolarado. Até porque eu detesto dias ensolarados e suas mãos suam muito, me incomodam. Já parou para pensar no quanto implicamos um com o outro? Não conseguimos entrar em consenso nem pra tirar umas simples férias. Eu querendo ir para o leste europeu e você para a América Central. Pois bem... agora cada um vai para onde quiser. Isso não é bom?Adeus, meu amor... foi bom.
...

Ok, ok... eu estou blefando (sei que você odeia quando eu faço isso), fui ao supermercado comprar chá. O de camomila acabou. Já volto. E se você não estiver com cara de choro quando eu chegar, vou ficar muito, muito frustrada.

Eu te amo.

Beijos, meu bem.

Carmem.

******

A B., do Devaneios & Loucuras, criou uma série de entrevistas com donos de blogs amigos. Recentemente estive na berlinda. A quem interessar possa, eis a entrevista:
http://devaneios-loucuras.blogspot.com/2008/08/entrevistando-j-oliveira.html

12 comentários:

PequenAprendiz disse...

Oi Jô
Li sua entrevista no D&L e gostei muito da sua autenticidade.
Quanto ao post, muito bom!
Afinal, quem foi que disse que os amores são perfeitos?
Á minha tendência é sempre ficar do lado errado, daquele q me faz sentir raiva até, mas que no fundo eu acho certo e me faz feliz, do meu jeito.
Blog add aos favoritos.
Beijos

Érica disse...

Mais um texto belíssimo, como não haveria de ser. Eu fico pensando... Tu vive isso tudo né? Desculpa se eu estiver sendo invasiva, é que eu acho tão real.
:)
Beijão querida.

Camila. disse...

Háá!
Que graça essa carta, e o final foi o mais lindo.

Gata Borralheira disse...

Oi, Jô!
Estou começando meu Blog agora e andei lendo vários blogs por aí...
Gostei muito do que você escreve e da maneira que faz isso.
Então me dei a liberdade de adicionar seu blog na minha lista pra poder acompanhar melhor o que você escreve, tah?

Monsieur Coçard disse...

HAuhauhauhau mas que Féladaputa! hauhuahua engraçado que muitas mulheres hoje em dia não são mais românticas, ou têm paciência para tal coisa, acredito que não precisa ser meladão, mas romantismo às vezes não é tão ruim :D

beijos

' arcano disse...

É muito bom ler voce :]

ps: te adc nos links, ok?

Lais Mouriê disse...

Que belo post! E essa pitada de ironia deu leveza ao texto. Tudo muito bem dosado.
Ps: espero que vc não tenha ficado frustada!
Bjão

Luca disse...

Sarcasmu também faz mal ao coração!

Sensacional!

Gabriela. disse...

Divertidíssimo!

Eu estava quase acreditando na frieza da Carmen.

E, ó só: "pior" que ele tem. E DOIS irmãos, rs.

O Profeta disse...

Uma rosa breve
Uma hortênsia de alva cor
A terra molhada pelo sereno
Nos celeste paira um Açor

A madeira verde, a dança do fogo
O embalo do loureiro no vento, o alecrim
Um ribeiro de inquietas águas
Levam o perfume das mágoas em viagem sem fim


Convido-te a sentir a minha paleta de aromas


Mágico beijo

Luca disse...

Ahhhh, Jô! Tá brincando, ne?!?

Tuas almas-gêmeas são as minhas!

Huahsuahsash

Gabriela. disse...

Bem, o meu é o caçula e tem 39!

Certeza que queres o mais velho? rs.