quarta-feira, 25 de junho de 2008

Companheiras

Fotografia retirada do site olhares.com


Quanto mais acompanho histórias de amor do auge à decadência mais gosto de ser um número ímpar. A solidão não grita com você, não implica com roupas, não fecha a cara e nem tem ciúmes por ter que dividir - de modo de desigual, diga-se - sua atenção com seus livros. Por outro lado, não dá colo, não olha nos olhos e nem bebe vinho com você. Na minha balança, entretanto, ela está em vantagem. Eu gosto de beber vinho sozinha.



Ouvindo Longe de Você, Vitor Ramil.

22 comentários:

Will disse...

gosta mais de ser um número ímpar?

3, 5, 7..??


rsss

disse...

Will, que tal o último número de um número ímpar? Ficou mais claro? :P

Camila. disse...

O colo, o olho-no-olho e o vinho não durariam para sempre, mesmo quando acompanhados.

Morganna disse...

tá certa, ó.
mas colo a gente precisa. e muito.
e um monte de coisa agente faz só.
ainda bem.

e ei! vitor ramil é o máximo! :D

Edu Guimarães disse...

É a diferença entre solidão e solitude.

Solidão muitas vezes está presente mesmo quando somos número par.

BeiJô!

Luca disse...

uau! a-d-o-r-e-i!

e o chocolate? não conta? eu sempre gosto de comer chocolate sozinha!

Anônimo disse...

como faz charme esta blogueira. rsrs.

a solidão é boa, muito boa. nos coloca em estado de contemplação. enxergamos coisas que, aos pares, não nos é possível. mas a dois nos encontramos também. e vinho, historicamente, se bebe junto. rsrs.

abraços.

a) leitor.

p.s.: mais uma linda peça para o quebra-cabeça. duas, digo.

Will disse...

"que tal o último número de um número ímpar? Ficou mais claro?"


Já estava claro..rsss

Mas agora ficou infinitamente mais

Adriano DiCarvalho disse...

E tem algum segredo pra sermos também um número ímpar? Ou é daquele tipo de coisa que se nasce assim e pronto, não se meta?!rs

Bom vinho e bjão.

Miguel Barroso disse...

Um amor senta-se e permanece estoicamente activo na magnitude uterina do seu esplendor.



Abraços do EU, SER IMPERFEITO e d´A SEIVA

disse...

É, meu leitor anônimo, como eu não costumo ser uma pessoa muito tradicional... eu bebo vinho sozinha e gosto. O que não quer dizer que eu não goste de fazê-lo acompanhada também.

' arcano disse...

Nunca gostei de vinho. E sou feliz por ser impar, ou talvez o meu impar seja o par de alguem. Enfim... exatas nunca me atrairam.

Ni ... disse...

E qualquer coisa, companheiro de vinho não deve ser tão dificil de encontrar quando alguém que nos faça feliz... rs...

Saudade Irmã... beijo e mais beijos...

katiucia manson disse...

ai depende de cada um, jah eu gosto de beber vinho com os amigos, nem com meu amor e nem sozinha...
sao os dois lados da moeda, tudo tem o lado ruim e o bom, tens que saber dividir bem

Érica disse...

Eu acho ótimo beber vinho sozinha. Teoricamente sozinha, na realidade acompanhada de pensamentos, porque a solidão pode até não beber o vinho com a gente, mas os pensamentos chegam a nadar nele.

Grande abç.

Erica

Johny Farias disse...

...ter alguém do nosso lado, onde o amor e a amizade seja recíproca é bom demais.

Mas como disse um filósofo que o nome me foge a mente agora:
"..quem ousar roubar minha solidão, que seja boa compania.."

Sozinho ou acompanhado, o importante é ser feliz, o resto são meros detalhes, né?

Tudo bem Jô? Como andas?

Beijo's

Camilinha disse...

... é. deve ser bom mesmo... qualquer dia eu experimento!


beijos daqui...

Luca disse...

Cor de rosinha??

=/

hihihi

Larissa Cruz disse...

Afinal companheiros pra um bom vinho deve ser muito fácil encontrar, mas alguém que nos faça verdadeiramente feliz..hum isso q tá dificil né?

Camila disse...

Ei, cadê você, hein? Sumidinha... rs

E não é que ser número ímpar não é de todo ruim? Tem suas vantagens sim, e não são poucas. Tb estou nesta fase. Se é passageira? Não sei.

Como diz o Caio Fernando, "Vou olhar os caminhos, o que tiver mais coração, eu sigo". É por aí.

Um beijo

Morganna disse...

realmente. o mal do século é a falta de tempo. g-zuz!

como anda você, bonita Jô?
Beijão.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

O tempo passou e eu passei por ele,sempre ímpar,vozes me incomodam o pensamento...mas eu gostaria que não tivesse sido assim,sempre bebendo vinho sozinha...agora é segurar a singularidade.Muito intrigantes os seus textos!