segunda-feira, 23 de maio de 2016



Eles fizeram um pacto de não se encontrarem mais, por saberem que não resistiriam um ao outro e por não funcionarem bem juntos. Estabelecidos os termos, em uma noite de saudade, ele escreve: queria muito te rever, mas nosso acordo não permite.

Ela responde reticente: é, não permite...

Ambos encarando o celular sem saber o que dizer, cheios de vontade. 

Ele pede uma foto dela.  Ela hesita, mas manda uma foto enquadrando seu pescoço e sua boca com um sorriso de canto.

- Por que você faz isso?
- Foi você quem pediu, ora.
- Eu sei, mas não preciso de foto para lembrar de você.
- ...
- Vou te buscar.
- Não...
- Você não quer?
- Vou praí, me espera.

Às 23h40 ela sai de casa. Cheia de dúvidas, se questionando por que eles não se deixavam seguir em frente.

Ele abre a porta, sorri. Beijam-se sofregamente. Ele a puxa para dentro pela cintura, fecha a porta e a aperta contra si, ansioso.

*******

- Se fosse só sexo seria mais fácil.
- É, o que nos mata é esse carinho que temos um pelo outro.
- Por que não ficamos juntos?
- Já discutimos isso.
- Vamos rediscutir, a gente não consegue se afastar.
- Ou não tentamos o suficiente.

*****

Aquele som de adeus já era velho conhecido e nem os assustava mais, pois sabiam que não duraria muito.

2 comentários:

Valentina disse...

Nada como uma teimosia inútil para deixar um "pacto" mais irresistível do que já o é.

Johny Farias disse...

O amor mata, a ausência dele também.

Legal voltar aqui e ver que continuas.

Tua escrita continua em mim.