domingo, 3 de setembro de 2017

Superego*


PARTE I

Ela o conheceu por meio de amigos em comum. De imediato o achou muito interessante. Acostumada aos homens rasos e sem conteúdo que conhecera, encontrou num leitor de Eco aquela certa profundidade que sempre procurava.

- Alice, ele tem namorada. E que namorada! Uma moça tão interessante quanto ele. De uma gentileza constrangedora. E pior: você a conhece! Dizia a si mesma, enquanto fingia prestar atenção à conversa.

Ele parecia curioso em relação a ela. Fazia muitas perguntas. Alice respondia a todas animadamente, tentando disfarçar seu interesse. No desenrolar do almoço, quando percebeu, ele estava sentado ao seu lado. E entre um passar de travessas e outro, observou que ele sempre a tocava. Não deliberadamente, com malícia, mas sentia a necessidade do contato. Anotou mentalmente essa informação.
......

Os outros dias correram normalmente. Ele dava cada vez mais atenção a ela. Ao mesmo tempo que isso a incomodava, envaidecia. E, dessa forma, seguiram os encontros seguintes, nas entrelinhas.

......

Perguntava-se, agora, com o privilégio da distância, em que momento se envolveu naquela teia. Cometeu o erro da proximidade, o que a colocava numa posição difícil qualquer que fosse sua decisão, já que a proximidade era em relação a ambos.

* Texto escrito a quatro mãos com Katy Karen, do blog www.alter-egua.blogspot.com

2 comentários:

Úrsula Pires disse...

Que situação! Moça forte, eu teria me jogado. Oba tem cont. Vou acompanhar.

Jaya Magalhães disse...

Jô,

Eu nem lembro mais como cheguei aqui hoje. Totalmente por acaso e sem esperança de novas leituras (o mundo dos blogs está quase desaparecendo). Mas eis que me deparo com um texto novo e quase gritei de felicidade!

Meoooooo, que saudades que eu tava dos teus escritos. Me senti como anos atrás, quando eu vinha aqui ler teus contos e ficava tão curiosa aguardando as continuações. Hoje não foi diferente. Sua escrita flui. A gente filma e desenha. Poderia nem acabar.

Um beijo e obrigada.