segunda-feira, 17 de agosto de 2009

A distância ou De perto ninguém é normal

Gala Nude From Behind Looking in an Invisible Mirror, Salvador Dalí. 1960

Aquela mulher era, para ele, um ícone da perfeição. Cada curva, cada nuance parecia feita por mãos de artista. Ela sequer cruzara um olhar distraído com o dele. Idealizava-a como um ser superior a todos os outros. Seu modo de andar era tão gracioso que ele achava uma infâmia sinais se fecharem para ela. Tudo deveria parar para que ela simplesmente pudesse mostrar ao mundo a graça. Quisera várias vezes se aproximar e iniciar uma conversa, ainda que superficial. Hesitava sempre. Sua teoria de que é melhor não chegar perto demais de quem se admira fora infalível até então. A admiração, pensava, deve permanecer no âmbito da idealização. Só assim o ser admirado se mantém sem máculas.

Certo dia, uma grande oportunidade tornou impossível resistir a uma investida. Encontrou-a em uma biblioteca folheando A Divina Comédia.

- Já leu?
- Não, não.
- Maravilhoso.
- Imagino.
- Por que não leva?
- Eu não gosto muito de ler.
- Não? E o que faz numa biblioteca?
- Estou esperando meu namorado. Ele trabalha aqui.
- Ahhh...

8 comentários:

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Realmente nossos objetos de admiração não podem estar perto de nós pois perdem todo o encanto!

Quem mandou chegar perto e ainda puxar conversa?Rsrsrs!!!

Beijos,muito bom!

Sonia Regina.

Fláh disse...

"A admiração, pensava, deve permanecer no âmbito da idealização. Só assim o ser admirado se mantém sem máculas."

As vzs é melhor só admirar msmo, para nao nos decepcionarmos.

Com ou Sem conclusões disse...

Que coisa não!?! Tinha tudo para rolar um conversa.. Mas é só a imagem que conta.. Alias, sobre algum livro e tal.. Talvez ela tenha passado por alguma história... Salvador Dali? Lindo

Érica disse...

kkkkkkkkk...
Coitado. Que decepção.
Teu blog ta lindão viu? Adorei.
Beijos

Vanessa Raiol disse...

è amiga, as vezes é melhor ficar a idealização, rs.Chegar muito perto pode ser fatal.

Daniel disse...

Jô, maravilha. Já estive nesse lugar (de idealizador). É muito duro sair dele! Implica um largo período de aprendizado, em que aprendes a roçar contra o solo áspero da realidade concreta - e, sobretudo, em que aprendes a esperar. Porque, ao contrário do que possa parecer, o idealizador do teu conto não é um procrastinador: é um imediatista. Salta diretamente para o cenário fantasioso. Adiciona-me no orkut, se quiseres - será um prazer: danielmutt.

disse...

Olá, Daniel, gostei da reflexão sobre o personagem. Tentei acessar teu perfil aqui no blogger, mas parece indisponível ou não publicado, não sei. Enfim... acabo respondendo por aqui. E que nos encontremos em outros ambientes da internet. Será um prazer tbm. Obrigada pela visita gentil.

Daniel disse...

Jô, puxa, não me tinha dado conta de que não tenho um perfil no blogger! Este danielmutt é um avatar de fantasia no Orkut (mas enfim - é como a Agrado, do Almodóvar: uma fantasia cheia de verdades). Vai aqui e encontras o meu "outro" perfil no blogger:
www.cidadedeflorianopolis.blogspot.com. Vou tratar de alimentar este aqui também com informações. Sigamos falando!