quarta-feira, 23 de julho de 2008

Maquiavel pós-moderno ou Os fins justificam os meios



- Como você pode dizer que me ama depois de ter me traído?

- Mas eu amo. Aquilo não significou nada.

- Isso é tão clichê! Esperava mais originalidade de você. Só fico ainda mais desapontada com essa resposta pronta.

- Eu te amo muito mais que a mim mesmo.

- ...

(Breve silêncio)

- O que mais te machucaria?

- Perder você. Eu não conseguiria viver.

Ao vê-lo em prantos, ela pega o revólver que trazia na bolsa e um único projétil, para pôr fim à vida dele. Diante daquela conversa, entretanto, mudara de idéia.

Matou-se com um tiro na cabeça. Sabia que aquilo o faria sofrer mais.

********

Música incidental: Tenha Dó (Marcelo Camelo)

12 comentários:

Will disse...

Adoro finais surpreendentes....

\o/

101º "aniversário"!!! A lá Dercy!!!

Morganna disse...

hey! te indiquei lá no prêmio, ó:
http://gotasdiariasdesentimento.blogspot.com/2008/07/prmio-blog-5-estrelas.html


saudade gigante, Jô!
:*

Lari Nakao disse...

Trá-gi-co!

Mila disse...

Eita!
Isso é que é vingança!

***
Não sei se faz tempo que mudou, porque tenho acompanhado os seus Fragmentos pelo feed, então só vi agora. Mas ficou linda a foto do cabeçalho!

Beijo

Érica disse...

Era melhor ter atirado no safado.
Triste.
Beijos.

Thefy disse...

Finais trágicos são mais interessantes..
adorei seu blog..
bjokas

Luca disse...

Jô, eu tb achei q meu blog ficou um charme, agora! Hehehe

Mas sim, fico absurdamente abismada c tanta criatividade para finais surpreendentes. Sempre q venho aqui é com a expectativa de encontrar textos interessantes. Adorei esse final.

Beijoooooooooossssss

Mr. Ziggy disse...

Jô,
Me desculpa, mas eu achei o final venalmente engraçado, com um certo quê de humor negro. Interessante esse elemento surpresa. Bjos!
Zy

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

O final,realmente me assustou:ele é que merecia o tiro,mas creio que eu faria o que sua personagem fez.Muito bom!

katiucia manson disse...

se matar, a forma mais covarde de acabar com um problema ;x

disse...

Não sei se concordo contigo, Katiucia... sempre fiquei dividida entre ser o suicídio um ato de coragem ou de covardia... eu não sei se teria coragem de apertar um gatilho contra mim mesma. Acho que exige uma boa dose de coragem tbm.

Cláudia I. Vetter disse...

Uuuuuuuuuuuuuuh! O Príncipe na CABEÇEIRA!

;***