quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

"É só mistério não tem segredo..."



Fui reclamar da falta de ideias para escrever que chegou junto com 2010, quando, em uma conversa telefônica com uma amiga, cito uma frase que li na Bravo! deste mês. A matéria, capa do periódico, é sobre Penélope Cruz, que, segundo a revista, se consagrou como a grande atriz europeia de nosso tempo, juntando-se às grandes: Greta Garbo, Sophia Loren e Catherine Deneuve. Ao falar das grandes, é citada a seguinte frase da alemã Marlene Dietrich: "Invejo Greta. O mistério é o maior charme de uma mulher. Gostaria de poder ser tão misteriosa quanto ela". Isso me fez pensar e concordar com Dietrich. Claro que ela não se refere ao mistério caricato e cheio de caras e bocas. Não a sedução histérica (aprendi sobre isso semana passada :P). Acredito que ela trata do mistério natural que cada mulher deve ter. Um homem não pode olhar para uma mulher e ver sua alma, ali, às claras. Entendê-la e prever suas reações tenderia ao tédio. Alguns chamam isso de jogo, eu chamo de charme, como a atriz alemã. E não estou aqui fazendo uma ode ao recato feminino, muito menos à moral e aos bons costumes. Até porque o mesmo vale para os homens: alguém que não deixa nada para que eu descubra depois é alguém sem novidade, previsível e sem graça. Isso é algo que aprendi com minha não tão vasta experiência e que gostei de encontrar par nessa opinião.

7 comentários:

Bel Gasparotto disse...

Acho bom nunca sabermos tudo sobre as pessoas, ter sempre algo pra descobrir e algo pra contar. A vida sem mistério nenhum é um saco.

Bjs!

Gabriele Fidalgo disse...

Concordo que quando não se trata de jogo e sim de charme, vale a pena. Essa troca de idéias e semelhanças aos poucos, deixando ainda mais para ser descoberto depois.
Só não concordo muito sobre um homem não poder ver a alma de uma mulher. Acho que um dos objetivos do amor é chegar à essa cumplicidade, intimidade, à alma mesmo.

Hey, querida. Fiquei feliz com o seu comentário. Também não sabia que tinha voltado a escrever por aqui. Gostei! :)

beijo beijo

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Se sabemos tudo sobre alguém, o que restará por descobrir?

Os misteriosos são fascinantes e aqueles que a gente pensa que sabe tudo deles e ,de repente,que surpresa...ou que decepção...

Tem também os tipos que parecem que mostram tudo mas guardam o melhor para que se descubra!!

Um beijo,misteriosa!!!

Sonia Regina.

Bel Gasparotto disse...

Depois do seu comentário no meu blog eu diria que somos quase almas gêmeas, kkkkk. Engraçado como me acho parecida com você, rsss. Maternidade pra mim, pelo menos até agora, seria um pesadelo. Mas o casamento também não tem sido uma opção agradável não...

Bjs!

Claudia Bins (Cacau) disse...

Oi Jô,

Passei para conhecer e aproveito para fazer um convite:
O Blog Mosaicos do Sul está de aniversário de 6 meses e para comemorar lança sua primeira promoção. Passa lá e participa! O prêmio é o livro 1000 lugares para conhecer antes de morrer.

Abraço,

Cacau
www.mosaicosdosul.blogspot.com

MR disse...

Acabei de ler outro post com o texto:

“Quanto mais estrangeiro, mais será mantido, imaginariamente como parceiro inacessível. Se além do mais seu estatuto de ‘estrangeiro’ o mantém, na realidade, numa distância importante ou mais ou menos permanente da histérica, ele se torna o parceiro dos sonhos. Por outro lado, tão logo o ‘estrangeiro’ se faça mais cotidiano, mais imediato, suas aptidões ideais caem em queda livre: torna-se de imediato tão decepcionante quanto os outros. Donde este fantasma histérico, fartamente alimentado, de ser a mulher de um navegador de longo curso (‘é formidável, tão bom quando a gente se revê...’), ou de ser companheira de um engenheiro preso por vários meses do ano nos confins da Antártida...”.

(DOR,J. Estruturas e clínica psicanalítica, Rio de Janeiro, Taurus Editora, 1994)

Ou seja, fala também sobre o interesse provocado pelo desconhecido.

Dayne S. disse...

Que belo texto *-*