sexta-feira, 28 de junho de 2013


Ela já não suportava mais desilusões amorosas. Sabia não ter resistência para fins tristes, porém reconhecia que tudo que é muito bonito acaba mal. É uma questão de proporção. Estivera bem nos últimos anos em sua zona de conforto, que fazia jus ao nome. Até que ele apareceu, sem fazer promessas explícitas, mas prometendo o mundo, veladamente. Apresentou-a a toda a família. As mensagens periódicas afirmando que lembrara dela por algo bobo.As fotos a cada duas horas. As mãos dadas, sempre por iniciativa dele, nos ambientes comuns. Não procurara nada daquilo, ele apenas viera até ela, como o terceiro de Terezinha, de Chico. E agora ia embora sem olhar pra trás, sem motivo aparente, dizendo ser cedo, que as coisas estavam caminhando depressa demais. Ela inventou 11 palavrões  especialmente para ele, entretanto decidiu segurar a indignação para não bancar a desequilibrada. Viu mais um dos homens de sua vida escapar-lhe entre os dedos e desta vez resolveu que não lutaria, não choraria, nem cairia em depressão. A vida continua, afinal, e isto ela já havia aprendido. Por fim, decidiu que investiria alto no conforto da sua zona de conforto, já que voltaria a morar lá.


10 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Há pessoas que não somos capazes de as segurar. Então, o melhor mesmo é não sofrer por causa disso.
Gostei do teu blogue e também não sei por que nunca nos cruzámos antes... Obrigado pela tua visita.
Um abraço.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

O maior erro
de quem ama,
é achar que
a pessoa amada
lhe pertence...

Que os sonhos
te enlacem a vida.

Nilson Barcelli disse...

Vim ler mais...
Jô, tem um bom fim de semana.
Beijos.

Sidiana Ferreira de Macêdo. disse...

Adoro suas histórias!
Um abraço!

Giovana Santos disse...

Que blog genial!
Adorei e já estou seguindo.Espero que vc tenha todo o sucesso com o blog,assim como eu também espero ter com o meu.Beijos!
http://justgiovana.blogspot.com.br/

Erika Monteiro disse...

Adorei o texto, muito lindo. Concordo com o Nilson, há pessoas que nos fogem pelas mãos... não há remédio...ou o que possamos fazer para ser diferente, como diz minha professora, basta resiliência.

Beijos,
Blog Fashion e Bella
www.fashionebella.com.br
*Cartas para Amelie*

Maria Midlej disse...

Sei lá, mas eu fiquei vontade de dizer a ela pra tomar cuidado. A zona de conforto não é tão confortável assim...rsrs

Beijo, flor

Carol Bonando disse...

Toda e qualquer relação é passagem... Apegar-se em passagens? Alguns conseguem, outros não. Se conhecer e saber o que realmente deve passar por nós e o que deve permanecer é uma arte para poucos. =)

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga.

Meu desejo para os que habitam
o meu coração,
é um mergulho no tempo,
onde cada dia,
é um dia de ano novo,
e cada sonho,
uma senha a ser descoberta,
nesta caminhada rumo a alegria.

Muito obrigado por sua amizade.
Que sejamos e façamos felizes a cada dia.

ALUÍSIO CAVALCANTE JR.

Alice disse...

Gostei muito deste cantinho!
Um bejinho, Alice :)

www.alicesalterego.blogspot.com