sexta-feira, 23 de março de 2012

Os opostos não se atraem ou "Eu ando num labirinto e você numa estrada em linha reta" (Moska)



Ela gostava de Chico Buarque, ele de pagode. Ela de cinema alternativo, ele de filmes de pancadaria. Ela adorava teatro, ele, bar. Ela apreciava o silêncio e ele a balbúrdia. Ela tinha um chaveiro da Torre Eiffel, ele adorava torres de cerveja. Ela usava o carro para se transportar, ele para charlar. Ela gostava de música ambiente, ele, de volume máximo. Ela elaborava metáforas, ele ria. Separaram-se em comum acordo, foi a única vez que concordaram.

9 comentários:

Lê Fernand's disse...

conheço gente assim... rsrs


=)

bj meu

Ni ... disse...

Bom demais voltar por aqui, Jo...

Saudade...

Romanus, órum disse...

Há o momento em que "esmurrar a faca" e "amolar a faca cega da paixão" simplesmente perde o sentido.

Felizmente há sempre um dia depois do outro.

fernanda disse...

os opostos se atraem só é bonito na teoria,felizmente ou infelizmente.

Gabriela Marques disse...

Destino é coisa bizarra. Hoje estava a conversar com uma amiga minha, abrindo meu coração... "ele é tão diferente de mim, mas não mando no coração".
"Se preocupa não, amiga, os opostos se atraem"
Será mesmo? Acho que não. Mas encontrar alguém parecido com você em todos os quesitos é totalmente raro. E no fim, ainda que na separação, - como você mesma citou - uma vezinha sequer eles terão de concordar em algo.

Adorei seu cantinho. Não lembro-me de estar aqui alguma vez, portanto, creio que esta seja a primeira. Já logo garanto meu lugar. Adorei passear os olhos por aqui.


Beijo doce. Ótima semana a você!

Jessica Moraes disse...

achei tão perfeito que nem sei mais o que acrescentar. oposições assim só podem dar separação em comum acordo mesmo, é o que eu penso =)

Anônimo disse...

Sua sensibilidade transpira pelos poros deste blog.

Franck disse...

Aqui, na sua casa, que linda casa! Tbém seguirei-a, para que possa voltar sempre!
PS: Tenho um texto assim:
Eu queria diurno, ele noturno/ele queria manhã, eu tarde/eu queria café, ele chá/ele queria inverno, eu outono/eu queria um abraço, ele um beijo/ele queria mel, eu agridoce/eu
queria blues, ele rock/ele queria gim, eu vinho/eu queria romance, ele ação/ele queria montanha, eu praia/eu queria inteiro, ele metade/ele queria nada, eu tudo/

Izabela Cosenza disse...

às vezes as diferenças são mesmo incompatíveis. bom ter essa clareza. e tb saber que a diversidade humana tá aí, sempre trazendo semelhanças e diferenças outras... aquelas que nos apetecem...
bom simsim!
=)