segunda-feira, 17 de maio de 2010

Complexo de Amélie


Por que a vida adulta é tão insípida, incolor e inodora? Por que as nuvens deixam de se parecer com animais, deixamos de colecionar pedras, de ajudar os outros, ainda que de forma velada? Por que passar horas no salão de beleza se podemos ir a uma lagoa observar a trajetória das pedras lançadas sobre a água? Que tal um pouco mais de homens de vidro ao invés de homens de ferro?

6 comentários:

Camila disse...

Por quê nossa perguntas tem cada vez menos respostas?


beijos daqui...

projetoecoilogia disse...

Jô, as vezes a gente se parte em pedaços tão pequenos que fica difícil ser minimalista, do tipo apanhar flores e vender na feira sabendo o nome de cada uma delas, ou de qual delas vem o mel que adoça a boca de nossa amada...
Mas você consegue ir tão fundo em um texto tão curto...
Acho que é por isso que eu piro!!!

Érica disse...

Eu também acho. Prefiro assim, sem caber de imaginar.

Beijos

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Olá amiga!

Nem sei o que responder!!!!

Quanto tempo perdemos com bobagens e quanto tempo disperdiçado quando poderíamos aproveitá-lo com tanto prazer!!

Você pensa em tudo em pedacinhos que dizem tudo!

Um beijo saudoso!

Sonia Regina.

Bel Gasparotto disse...

Quer saber? Eu vejo formas não só nas nuvens, mas nas árvores também. Sou capaz de ficar horas observando o nada, as pessoas anônimas passando em frente a minha casa, a toa. Tem uns prazeres tão bacanas que a gente abandona por nada, só pq isso não é coisa de adulto... Os homens acho que abandonam muito mais isso, vejo isso olhando para meu irmão... uma pena.

bjs

Curto Circuíto disse...

... e aqueles que ousam pensar na vida, acreditar em duendes, em insistir em ser criança lá dentro são considerados malucos.