segunda-feira, 20 de abril de 2009

Pós-scriptum

Quando eu perder a capacidade de enxergar animais em nuvens, espelhos em poças d'água, poesia no trem fantasma e me emocionar com casais apaixonados que se olham com ardor numa parada de ônibus, posso fenecer. A propósito, quero ser cremada e que minhas cinzas sejam atiradas sobre o Rio Sena ou, ainda, que me seja construído um mausoléu e me faça companhia um anão viajante que traga notícias do mundo para me alegrar.

6 comentários:

Morganna disse...

que coisa linda.

tenho saudades, jô. =*

Camila disse...

Belíssimo retorno, garotinha. Estava com saudade de teus fragmentos.

Um beijo com doçura

Larissa Cruz disse...

Uma alto afirmação para que escreve tão bem os seus fragmentos de pensamento!

Ane Talita disse...

=)

que assim seja feito...

beijos, flor

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Oi,Jô!Estava sentindo sua falta!

Simples e verdadeiro texto:se perdemos a capacidade da emoção é que a morte já chegou!!!Para você isto vai demorar muito,pois é pura emoção!!!

Beijo!Sonia Regina.

Xelhi disse...

lindo demais :)